Alexandre de Moraes será sabatinado em comissão na terça-feira

1

O senador Eduardo Braga apresentou o parecer sobre a indicação de Alexandre de Moraes

Fonte: Agência Senado/Iara Guimarães

Indicado para o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro licenciado da Justiça Alexandre de Moraes será sabatinado na terça-feira (21) pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). A data foi marcada pelo vice-presidente da comissão, senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), que presidiu os trabalhos de reunião da comissão nesta terça-feira (14).

No início da reunião, o relator da matéria, senador Eduardo Braga (PMDB-AM), apresentou seu relatório, ressaltando a formação e a experiência profissional de Alexandre de Moraes, apontando ainda o atendimento a requisitos exigidos para o cargo.

Após a leitura do relatório, a reunião foi marcada por polêmica em torno de proposta de antecipação da sabatina. A base governista queria a arguição já nesta quarta-feira (15), alegando situação anterior, quando teria havido antecipação de oitiva de autoridade. Já senadores da oposição pediam o cumprimento de prazo regimental de cinco dias úteis para convocação do indicado.

Anastasia manteve a previsão do Regimento Interno do Senado, ponderando que a realização da sabatina na próxima semana daria aos senadores condição de analisar as informações contidas no relatório de Eduardo Braga e permitiria a participação dos cidadãos.

— É durante esse prazo que questionamentos sobre a vida pregressa [do indicado] poderão ser encaminhados ao relator para serem divididos com a comissão — ponderou.

Currículo

O relatório em exame na CCJ ressalta a formação acadêmica de Alexandre de Moraes, graduado em Direito pela Universidade de São Paulo (USP) e doutor em Direito na mesma instituição. O indicado é ainda Livre Docente pela USP, título concedido mediante concurso público.

Com experiência docente, Moraes é professor da Faculdade de Direito da USP, da Universidade Presbiteriana Mackenzie, da Escola Superior do Ministério Público e da Escola Paulista da Magistratura,

Foi promotor de Justiça do Ministério Público de São Paulo, secretário de Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo, conselheiro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e secretário de Segurança Pública de São Paulo (2015-2016), entre outros cargos. Atualmente está licenciado do cargo de ministro de Justiça e Segurança Pública.

Após sabatinar o indicado, na próxima terça-feira, os integrantes da Comissão de Justiça se manifestarão a favor ou contra a indicação, em votação secreta. A matéria seguirá então ao Plenário, onde também passará por votação secreta.

Foto: Pedro França/Agência Senado



Jornalista - MTB 10997-DF/ Radialista - DRT-DF 6416 Poeta, escritor, autor do livro de poesias "Explicação Universal" lançado pela editora Scortecci.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *